13 de fevereiro de 2010

ESVAZIANDO A MALA DA VIDA

 

- Quando você começa a viver, você tem apenas uma mala pequenina na mão, e, na medida em que os anos vão passando a bagagem vai aumentando.

Existem muitas coisas que você vai recolhendo pelo caminho, coisas que você fez, e que na verdade são muito importantes.

Num determinado ponto do caminho começa a ficar quase insuportável carregar tanta coisa, (pesa demais).

Aí, você abre a mala e olha e pensa no que tirar desta mala.

Aí, (sugestão), começa a tirar tudo que tem lá dentro.

Tem amor, amizade (amizade tem bastante), amizade não pesa nada.

Tem algo pesado, você faz um esforço danado: a raiva (nossa como ela pesa), aí você começa a tirar, e vão aparecendo a incompreensão, o medo, o pessimismo. Aí, nesse momento, o desânimo quase te puxa prá dentro da mala, mas você puxa com toda força, que aparece lá no fundo da bagagem um sorriso sufocado, e mais um sorriso que pula prá fora e em seguida aparece daí a alegria toda faceira. Então você pode escolher, ou fica sentado (a) na beira do caminho esperando que alguém o (a) ajude, (que é difícil, porque todos que passam por ali já terão suas bagagens para carregar), ou você pode ficar a vida inteira esperando sentadinho (a) ali até que seus dias acabem, Mas ainda tem uma opção legal: você pode se livrar do peso, esvaziando a mala. Então, você coloca de novo as mãos dentro da mala e tira fora a tristeza.

Agora você vai ter que procurar a paciência dentro da mala, pois você vai precisar de bastante paciência.

Procure antão o resto: a força, a coragem, a esperança, o entusiasmo, a tolerância, o equilíbrio, a responsabilidade e o bom (o bom e velho bom humor).

Tira a preocupação também, (mas deixa ela de lado, depois você pensa no que fazer com ela).

Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo.

Mas pense bem no que você vai por lá dentro de novo.

Tirou tudo isso!? Não se esqueça de fazer isso de vez em quando.

A vida é sua, e o caminho é longo, e a opção é sua, a bagagem é sua.

Bjs doces!!

Virgínia Lupinni.

Postar um comentário

Translate