28 de março de 2012

***O AMOR DE MÃE E PAI***


A DIRETORA FALAVA SOBRE A IMPORTÂNCIA DOS PAIS ESTAREM MAIS PRESENTES NA VIDA DOS FILHOS E AJUDAREM NAS LIÇÕES DE CADA DIA, DE APOIAREM AS SUAS INICIATIVAS, ENFIM, DE SE INTERESSAREM MAIS PELA VIDA DE SEUS FILHOS.
PEDIA QUE SE ESFORÇASSEM P/ ESTAREM PRESENTES MESMO P/ AQUELES QUE TINHAM Q. TRABALHAR FORA.
A DIRETORA FICOU SURPRESA QUANDO UM DOS SENHORES PRESENTE À REUNIÃO LEVANTOU E SE EXPLICOU C/ JEITO HUMILDE Q. ELE NÃO TINHA TEMPO DE FALAR C/ O FILHO, NEM DE CONVERSAR C/ ELE PORQUE POR MUITO TEMPO DURANTE A SEMANA, ENTÃO QUANDO ELE SAÍA P/ TRABALHAR ERA MUITO CEDO E O FILHO AINDA ESTAVA DORMINDO E QUANDO VOLTAVA O GAROTO JÁ TINHA IDO PRA CAMA.
MAS, ELE CONTOU QUE TODAS AS NOITES ELE FAZIA QUESTÃO DE IR AO QUARTO ONDE O FILHO DORMIA DAVA-LHE UM BEIJO E, PARA QUE O FILHO SOUBESSE QUE ELE ALI ESTIVERA PRESENTE DAVA UM NÓ NA PONTA DO LENÇOL.
ISSO ACONTECIA TODAS AS NOITES. QUANDO O FILHO ACORDAVA
PELA MANHÃ VIA O NÓ, AÍ ELE SABIA QUE O PAI TINHA ESTADO ALÍ.
O NÓ ERA, PORTANTO, O MEIO DE COMUNICAÇÃO ENTRE ELES.
A DIRETORA FICOU SURPRESA QUANDO FICOU SABENDO QUE O FILHO DESSE PAI ERA UM DOS MELHORES E MAIS DEDICADOS DA ESCOLA.

MUITO BEM...
O FATO NOS FAZ REFLETIR SOBRE AS MUITAS MANEIRAS DE QUE UM PAI OU MÃE PODEM SE UTILIZAREM PARA SE FAZEREM MAIS PRESENTES NA VIDA DE SEUS FILHOS. NÃO PODE HAVER DESCULPAS QUE JUSTIFIQUEM A AUSÊNCIA DOS PAIS NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA, PARA QUE UM DIA VOCE NÃO CORRA O RISCO DE CHEGAR NUMA IDADE MAIS AVANÇADA E SEQUER SE LEMBRAR DOS DIAS EM QUE SEU FILHO ERA CRIANÇA, QUE CORRIA, QUE BRINCAVA, QUE CRESCIA, PORTANTO, FAÇA DESSA CONVIVÊNCIA C/ OS FILHOS MESMO QUE VOCE CONSIGA UM MODO IRREVERENTE (A EXEMPLO DESTE PAI) DE SE FAZER PRESENTE NA VIDA DE SEUS FILHOS. MAS ESTEJAM LÁ EM TODOS OS MOMENTOS E TODAS AS ETAPAS DE CRESCIMENTO DE SEUS FILHOS.
ASSIM COM CERTEZA A VIDA TERÁ UM SENTIDO MAIS AMPLO .POIS OS PEQUENOS DETALHES É QUE REALMENTE FORJAM O GRANDE PATRIMÔNIO DE NOSSA VIVÊNCIA.

Cuide bem vcs!
Bjs doces,

V.L.

26 de março de 2012

Translate