27 de junho de 2010

"Seis pecados contra o casamento "



1- Rotina  
Está enganado quem pensa que aliança é sinal de eterna afetividade. A rotina é um dos fatores que podem levar o casamento à falência. Não podemos esquecer que somos seres constantemente em transformação psicológica, física e emocional. Tenha criatividade e afetividade para não permitir que sua relação fique na rotina ou caia nela, pois sem o poder da criatividade afetiva, o desenvolvimento de seu casamento não será “E viveram felizes para sempre".

2- Falta de diálogo
DR (discutir relação), ninguém gosta né! Mas falar é uma função importante do ser humano e precisa ser levada para o  casamento. Não significa, necessariamente que precisa ser feito todos os dias. Mas antes da necessidade desse fator, a conversa e o diálogo precisam ser construídos ainda durante o namoro. Esta construção é feita por meio de falas que são, muitas vezes, silenciadas neste período, no que leva para a irritação de ter que reclamar todos os dias. Se você não possui este espaço em seu relacionamento, construa-o para que no futuro não tenhas problemas de diálogo.

  
3- Não dar a devida importância ao sexo  
 O sexo, (que coisa mais gostosa meu Deus!!!) que para mim é 50% responsável para um relacionamento saudável, (os outros 50% são responsabilidade social), propicia a intimidade necessária, a manutenção da união. Cuidar de si mesmo, da aparência, da saúde, revela um cuidado com o outro também. Depois do casamento nada pode melhorar se, hoje, está ruim.  Casamento pode resolver problemas relacionados à sexualidade do casal. O que era ruim antes pode ser pior depois. Converse com seu parceiro(a) para poder melhorar o que você acredita que não anda bem, coisas do tipo: posição, preferências, e lêm muito a respeito, sejam criativos abuse dos sussuros, fale no ouvido segredos de liquidificador. Parceria sexual é importante durante todo o casamento, pois depois de um período, muitas vezes, só uma(o) amante prá resolve. 
4 - Falta de atenção e afeto
 A relação está sem afeto? Isso é um sério problema  problema dentro de uma relação. Afeto e carinho são essenciais em qualquer relação – todos precisam de um pouco, especialmente vindo da pessoa amada. É preciso dar atenção ao parceiro, se mostrar feliz quando ele ou ela chega em casa do trabalho, dar um abraço, acordá-lo com um beijo, fazer um carinho, um cafuné, andar de mão dadas, beijar fora de hora, preparar um o prato preferido dela(e). Uma demonstração de carinho nunca é demais e não faz mal á ninguém.

    5- Ciúme
 Taí um sentimento que eu não consigo conceber (juro que eu tento) é a ideia de uma pessoa ter ciumes do(a) parceiro(a). Um pouco de ciúme é tolerável, mas quando chega a certo nível, como a necessidade de controlar o parceiro, aí é demais. Primeiro é necessário saber de onde vem o ciúme. Ela(e) é linda(o)? É atenciosa(o) com você? É boa(om) de cama? É honesta(o)? Ok! Até aí tudo bem. O que se deve evitar são as brigas desnecessárias, que deixam ambos infelizes e desgastam qualquer relacionamento. Se existem problemas com ciúmes exagerados, então corra rápido pra terapia pra você tratar do sua INSEGURANÇA.
6- Guardar mágoa 
 Muitas vezes ficamos magoados com algo que foi feito ou dito, e nosso parceira(o) não entende que há algo errado em nosso comportamento. O melhor é trabalhar esse sentimento e saber apagá-lo. Não saber perdoar o parceira(o) é um grande equívoco dentro de um relacionamento. Lembre-se sempre de que ninguém é perfeito. A melhor opção é conversar sobre a mágoa, mas sem “acusações”. O perdão não deve ser instrumento de uso corriqueiro, pois além de torná-lo banal, o seu significado acaba se perdendo no meio do caminho e você perde também a sua identidade e a auto-estima.
Bjs doces!
V.L.
Postar um comentário

Translate